Paraná tem o 2º menor número de mortes em rodovias federais em dez anos, aponta PRF.

Com 500 mortes e 8,5 mil feridos, balanço de 2019 da PRF no estado revela estabilidade em relação ao ano anterior
Quinhentas pessoas morreram e outras 8.551 saíram feridas em acidentes de trânsito registrados nas rodovias federais do Paraná ao longo de 2019. O número de mortes é o segundo menor dos últimos dez anos, acima apenas do total verificado em 2018, quando houve 494 mortes e 8.348 vítimas feridas no estado.
Os dados são da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que divulgou seu balanço anual na manhã desta terça-feira (21).
Em relação ao ano anterior, o total de mortes oscilou 1,2%. E o de feridos, 2,4%. Já o total de acidentes atendidos pelas equipes da PRF caiu 3,1% –passou de 7.955 para 7.705.
O pico de vítimas mortas dentro da série histórica ocorreu em 2012, quando 855 pessoas perderam a vida em rodovias federais paranaenses (veja gráfico).
Perfil dos acidentes fatais
As principais causas dos acidentes que resultaram em vítimas mortas no ano passado foram falta de atenção do condutor (21% das mortes); falta de atenção do pedestre (17,2%); desobediência às normas de trânsito pelo condutor (16,8%); velocidade incompatível (16,4%); ultrapassagem indevida (6,2%), ingestão de álcool (4,6%); sono (3%); e desobediência às normas de trânsito pelo pedestre (3%).
Quase metade das mortes ocorreram em colisões frontais (24,8%) ou em atropelamentos (24,6%). A maioria dos óbitos ocorreu em situação de pista seca (82,4%), em trechos de reta (65,4%), no período noturno (64,5%), em rodovias de pista simples (53,5%) e de sexta-feira a domingo (52,2%).
Motociclistas ou passageiros de motocicletas foram 22,2% das vítimas mortas. Ciclistas, 4,2%. Homens representaram 83,8% do total de óbitos.
Ações de fiscalização
Em 2019, os policiais rodoviários federais flagraram 4.216 motoristas dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas no Paraná. O número é 9,3% superior ao verificado no ano anterior, quando houve 3.858 flagrantes.
Outros 19,9 mil motoristas foram autuados por ultrapassagens proibidas, que estão entre as principais causas das colisões frontais.
A PRF constatou ainda 2.047 crianças sendo transportadas sem cadeirinha, assento de elevação ou bebê-conforto.
Ao longo de 2019, mais de 20,2 mil veículos foram recolhidos aos pátios da PRF no estado, por diferentes irregularidades. No caso específico de caminhões, por exemplo, quase 8,6 mil toneladas de excesso de peso foram detectadas.
A Polícia Rodoviária Federal fiscaliza cerca de 3,9 mil quilômetros de malha viária no Paraná.
Balanço resumido de ocorrências de trânsito em rodovias federais no Paraná (2019):
– 500 mortes;
– 8.551 feridos;
– 7.705 acidentes atendidos;
– 4.216 flagrantes de embriaguez;
– 19,9 mil ultrapassagens proibidas;
– 2.047 crianças sem cadeirinha;
– 20,2 mil veículos recolhidos;
– 8,6 mil toneladas de excesso de peso.
Fonte: PRF

BPFRON apreende veículo carregado com pneus contrabandeados em Foz do Iguaçu-PR durante Operação Hórus.

Na madrugada de hoje, (21/01) Policiais Militares do BPFRON – Batalhão de Polícia de Fronteira em conjunto com Receita Federal do Brasil realizavam patrulhamento na cidade de Foz do Iguaçu-PR durante Operação Hórus, quando visualizaram um veículo Citroen/Xsara Picasso de cor azul trafegando nas proximidades de um porto clandestino. Realizado abordagem
foi constatado que o veículo estava carregado com 05 pneus de carreta de origem Paraguaia sem os devidos desembaraços aduaneiros.
Diante dos fatos o condutor foi identificado e orientado quanto aos procedimentos. Já o veículo e contrabando foram encaminhados para alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu-PR para os procedimentos cabíveis.
Resultados desta ação:
05 pneus de carreta apreendidos.
01 veículo apreendido.
A Operação Hórus faz parte do Programa V.I.G.I.A. sendo coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública com o objetivo de coibir os crimes transnacionais. Ela é realizada de forma integrada pela Receita Federal do Brasil, Polícia Federal (PF), Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFRON) e COE da Polícia Militar do Paraná, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre) da Polícia Civil do Paraná, COE da Polícia Militar do Paraná, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança Pública e Exército Brasileiro, com apoio da Secretaria de Operações Integradas (SEOPI) do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Homem cai de 10 metros de altura em prédio.

Ele despencou da janela do terceiro andar; familiares acordaram com os gritos de socorro da vítima
Um homem de 49 anos ficou ferido ao sofrer uma queda de quase 10 metros de altura na madrugada de terça-feira (21), em um prédio residencial localizado na Rua Marechal Deodoro, esquina com a Avenida Brasil, região central de Cascavel.
Familiares relataram que acordaram com os gritos de socorro da vítima. Entretanto, não há detalhes de como o incidente ocorreu. Segundo o cunhado, o homem despencou da janela do terceiro andar, caindo no salão de festas do prédio.
Socorristas e médico do Siate estiveram no local e prestaram atendimento ao homem, que sofreu fraturas no fêmur e no pé, além de outros ferimentos pelo corpo. Ele foi encaminhado ao Hospital São Lucas.
FONTE:Catve.com

AMOP se alia aos municípios no combate contra a dengue na região oeste do Paraná.

O Município de Guaíra esteve representado na 1ª reunião da AMOP (Associação dos Munícipios do Oeste do Paraná) de 2020, em Casacavel, pelo prefeito Heraldo Trento, o secretário de saúde, Marcos Rigolon e o Diretor da Vigilância Sanitária Julio Juvenal.

A reunião teve como pauta três assuntos polêmicos. Como a situação da dengue na região oeste do Paraná, o piso Salarial dos professores do Magistério e a reabertura da Estrada do Colono.
Os prefeitos receberam a presença do diretor da 10ª Regional de Saúde de Cascavel, João Gabriel Avanci, e a diretora da 9ª Regional de Saúde de Foz do Iguaçu, Lelita Santos da Silva, além do promotor de Justiça Angelo Mazuchi e demais autoridades sanitárias e especialistas no assunto.
Foi discutido sobre a ajuda das Forças Armadas no combate mais intenso contra o surgimento de novos focos do mosquito transmissor, que deverá ser realizado pelas prefeituras. Centralizada pela Amop, a estratégia consiste em intensificar ainda mais as ações já em andamento e fortalecer as iniciativas em conjunto entre duas ou mais prefeituras, principalmente em áreas limítrofes.
De acordo com Avanci, a situação da dengue no Paraná é extremamente crítica. “De 2018 para 2019, houve um aumento de 4000% no aparecimento de focos do mosquito”, exemplificou.
Essa provável calamidade, observou a médica Lilimar Mori, chefe da Vigilância Epidemiológica da 10ª Regional de Saúde, é apenas uma questão de tempo, tudo indica.
No Estado, atualmente 331 municípios estão com infestação do mosquito, inclusive todos as 54 municipalidades da área de abrangência da Amop.
Na região, a média é de 14 imóveis infestados para cada grupo de 100, situação mais do que alarmante.
FONTE: Assessoria da AMOP.

BPFRON apreende produtos oriundos do Paraguai após abordagem a ônibus em Cascavel-PR.

Na madrugada de hoje, (20/01) Policiais Militares do BPFRON – Batalhão de Polícia de Fronteira realizavam patrulhamento e abordagens na cidade de Cascavel-PR quando abordaram um ônibus com destino ao Rio de Janeiro-RJ. No bagageiro do ônibus foi localizado 05 volumes de mercadorias oriundas do Paraguai. Os proprietários das bagagens foram identificados e orientados quanto aos procedimentos e os volumes foram apreedidos e encaminhados à Receita Federal em Cascavel-PR para os procedimentos legais.
Resultados desta ação:
05 volumes contendo receptores de TV, celulares, perfumes, impressoras e acessórios de informática

BPFRON apreende cigarros contrabandeados após abordagens a ônibus.

Na madrugada de hoje, (20/01) Policiais Militares do BPFRON – Batalhão de Polícia de Fronteira realizavam patrulhamento e abordagens na cidade de Lindoeste-PR quando abordaram um ônibus com destino à Santa Maria/RS. Na ação foi empregado um cão farejador pertencente ao canil do BPFRON que indicou duas bolsas que esse encontravam no bagageiro do ônibus. Elas estavam carregadas com cigarros contrabandeados do Paraguai. Os cigarros foram apreendidos e encaminhados à Receita Federal em Cascavel-PR para os procedimentos legais de praxe. A proprietária das bagagens foi identificada e orientada quantos aos procedimentos.
Já em outra abordagem a ônibus também na cidade de Lindoeste-PR, com o apoio do cão farejador do BPFRON, outras duas bolsas com cigarros contrabandeados do Paraguai foram encontradas no bagageiro de um ônibus com destino à Porto Alegre-RS. O passageiro foi identificado e orientado quanto aos procedimentos e o cigarro foi apreendido e encaminhado à Receita Federal em Cascavel-PR.

PRF 400 mil carteiras de cigarros encontra em caminhão abandonado

Cerca de 400 mil carteiras de cigarros contrabandeados do Paraguai foram apreendidas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-277, em Guarapuava, no Paraná. Por volta das 12h30, desta sexta-feira (17), os agentes da PRF encontraram um caminhão abandonado e durante a vistoria descobriram que ele estava carregando os produtos, avaliados em cerca de R$ 2 milhões.
O caminhão possuía placas clonadas, e, dentro da cabine, possuía outras placas, tudo para despistar a fiscalização.
Diante dos fatos, o caminhão e os cigarros foram encaminhados para a Receita Federal em Guarapuava. O motorista não foi encontrado.
FONTE: BANDA B

Batida frontal mata motociclista de 34 anos na BR 369.

Renan Cunha era condutor de uma Honda CG, que colidiu contra um Nissan.
Um motociclista morreu ao bater de frente contra um carro na madrugada de sábado (18), na altura do quilômetro 522 da BR 369, região do Bairro Morumbi, em Cascavel. O homem, identificado extraoficialmente como Renan Cunha, de 34 anos, era condutor de uma Honda CG, que colidiu contra um Nissan Kicks.
O acidente aconteceu por volta de 4h10. Segundo o que foi apurado pela equipe de reportagem, a motocicleta trafegava no sentido Cascavel/Corbélia, quando invadiu a pista contrária e atingiu o automóvel. O motorista relatou que não teve tempo de evitar o acidente, já que a moto estava com o farol apagado.
Com o impacto, o motociclista foi lançado a quase 30 metros de distância e caiu em meio ao asfalto. Socorristas do Samu que passavam pelo local pararam para prestar atendimento, mas apenas puderam constatar a morte do homem. O IML (Insituto Médico-Legal) foi acionado para recolher o corpo da vítima.
A batida deixou o automóvel com a frente completamente destruída. A motocicleta também ficou bastante danificada e foi parar a alguns metros do local da colisão.
No carro estavam cinco pessoas, uma família de Ribeirão Preto (SP) viajava a passeio com destino a Foz do Iguaçu. Duas jovens, de 19 e 20 anos, foram atendidas por equipes do Samu e do Siate, sendo encaminhadas a um hospital particular de Cascavel, ambas com ferimentos leves. Os outros três ocupantes, o casal e o filho mais novo, não ficaram feridos.
Por conta do acidente, a rodovia ficou parcialmente interditada.
FONTE:Catve.com

Obras no Hospital Regional de Toledo que resultariam em gasto de R$ 9,3 milhões estão suspensas por conta de liminar obtida pelo MPPR.

Está suspensa liminarmente a retomada de obras para readequação do Hospital Regional de Toledo, no Oeste do estado. A ordem judicial atende pedido em ação civil pública proposta pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 4ª Promotoria de Justiça da Comarca. O MPPR sustenta que, enquanto não for definido qual será o órgão gestor da unidade hospitalar, qualquer retomada na construção – iniciada em 2012 e até hoje não concluída – implicará novo desperdício de recursos públicos e prejuízo à população.
O hospital foi idealizado para atendimento especializado e serviços de média e alta complexidades para pacientes de 18 municípios da região, que somam perto de 400 mil habitantes. Esse tipo de serviço é gerido obrigatoriamente por órgãos vinculados ao Estado ou à União, mas até então isso não foi oficializado. Como sustenta a Promotoria na ação, “a falta de definição do órgão gestor da prestação do serviço de saúde notoriamente foi um dos principais fatores que determinaram o retumbante fracasso das administrações municipais anteriores em relação à abertura e funcionamento deste equipamento urbano essencial.”
Com a liminar, deferida nesta terça-feira, 14 de janeiro, pelo Juízo da 1ª Vara da Fazenda Pública de Toledo, foi imposta a suspensão do contrato firmado entre a Prefeitura e a construtora atualmente responsável pela obra. Estava previsto o gasto inicial de R$ 5,8 milhões do Fundo Municipal de Saúde. No total, o contrato suspende o gasto de R$ 9,3 milhões. No mérito do processo, a Promotoria requer a suspensão da obra de reforma. Foi determinada multa diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento da ordem judicial
Compromisso descumprido – Ainda segundo o Ministério Público, a ausência de definição do gestor pode prejudicar os projetos utilizados para o desencadeamento da licitação que levou à contratação da empresa responsável pela obra atual. Isso poderá exigir futuras reformulações e alterações, por ocasião da consolidação do órgão gestor, acarretando mais prejuízo ao erário.
A Promotoria de Justiça responsável pelo caso destaca também que, ao determinar o início das obras de readequação, o Município descumpriu compromisso expressamente assumido com o MPPR em termo de ajustamento de conduta firmado em junho de 2018. Com esse TAC, as obras estavam condicionadas à definição do órgão que seria responsável pela gestão e administração da unidade de saúde.
Desperdício – Como resume a Promotoria na ação, o “Município de Toledo está promovendo gasto público sem o mínimo indicativo a respeito de qual ente será responsável pela oferta de serviço de saúde no Hospital Regional de Toledo, prevalecendo absoluta incerteza em torno da possibilidade dessa definição e quando ela irá ocorrer, ocasionando mais uma vez o risco de ocorrência de abandono do equipamento público e subsequente desperdício de valores constantes do erário.”
MPPR
FONTE: Radio Vale Verde

Reabertura da Estrada do Colono une regiões.

Luta que já dura 35 anos, a reabertura da Estrada do Colono, povoada por conflitos e episódios turbulentos e com forte repressão por parte das forças de segurança, será o assunto principal da primeira reunião de 2020 da Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná).
O encontro será nesta segunda-feira (20-01), a partir das 10h, na sede da entidade, em Cascavel.
Surgida há quase 100 anos, a Estrada do Colono permanece fechada há 18 e a possibilidade de reabertura avança no Congresso Nacional, com a discussão de uma proposta integradora, sustentável e de forte potencial turístico.
A intenção da parceria entre Oeste e Sudoeste, reforça Junior Weiller, é de ampliar esta força junto ao Senado da República, onde a proposta tramita atualmente. A estrada liga os municípios de Serranópolis do Iguaçu, no Oeste, a Capanema, no Sudoeste.
Diante disso e respaldada pelos 54 municípios associados, a atual diretoria da Amop, que tem à frente o prefeito de Jesuítas, Junior Weiller, pretende discutir o assunto com gestores públicos de outra região interessada no tema, o Sudoeste, e para isso será colocada em discussão parceria estratégica com a Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná).
Outros temas relevantes serão discutidos durante a reunião da Amop, como explanação do diretor da 10ª Regional de Saúde, João Gabriel Avanci, sobre a situação da dengue nos municípios da região Oeste. E também: discussão sobre o piso salarial do Magistério, participação da entidade no Show Rural Coopavel e assuntos gerais.
FONTE: valeverdefm.com.br

©2015 Todos os direitos reservados. Desenvolvido por DUOUTROLADO.