GUAÍRA: ÚLTIMA VÍTIMA DA PRAIA DO SOL E ENCONTRADA APÓS 120 HS. (ver vídeo).

Ela e os irmãos, de 13 anos, e um homem de 47 anos se afogaram em uma prainha no Rio Paraná, em Mundo Novo (MS). Corpo da adolescente foi encontrado após seis dias de buscas.
O corpo da trigêmea afogada no Rio Paraná, em Mundo Novo (MS), foi encontrado nesta sexta-feira (06-11), em Guaíra, no oeste do Paraná, segundo o Corpo de Bombeiros.
De acordo com os bombeiros, um amigo da família que acompanhava as buscas reconheceu o corpo da menina de 13 anos.
Socorristas faziam as buscas desde sábado (30-11), quando ela, os dois irmãos e um homem de 47 anos se afogaram em uma prainha de água doce no rio.
de acordo com o comando de bombeiros de Mundo Novo MS, as buscas no rio paraná seçarão na tarde desta seta feira. (ver vídio)

MS: FRONTEIRA. POLÍCIA MATA 4 ASSALTANTES DO CARRO FORTE NA MANHÃ DE HOJE.

FONTE:CGNEWS

DENTRE OS MORTOS ESTÁ JOSÉ FRANCISCO LUMES, O ZÉ DE LESSA, UM DOS ASSALTANTES DE BANCOS MAIS PROCURADOS DO NORDESTE

Dentre os mortos, está José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, procurado na Bahia (Foto: Reprodução)

Quatro morreram e um foi preso durante troca de tiros com a polícia na manhã desta quarta-feira (4) em chácara localizada entre as cidades de Aral Moreira e Coronel Sapucaia. Todos eles são suspeitos de integrar a quadrilha que atacou um carro-forte da empresa Brink’s na fronteira com o Paraguai na segunda-feira (2).
De acordo com o secretário de Estado de Segurança, Carlos Videira, policiais que estavam à caça dos bandidos desde segunda localizaram o esconderijo na noite de ontem. Equipes estavam de tocaia e nesta manhã, com mandados emitidos pelo juízo de Amambai em mãos, entraram na propriedade.
“Fomos recebidos a bala”, disse um dos envolvidos na operação. Segundo o secretário, alguns bandidos fugiram para uma área de mata e com apoio do helicóptero do GTA (Grupamento Tático Aéreo), policiais fazem buscas pelo local.
Segundo o delegado Fabio Peró, da Garras (Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros), dentre os mortos, está José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, um dos assaltantes de bancos mais procurados do Nordeste. Ele era líder Bonde do Maluco, conhecido como BDM, considerada pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia, a facção mais truculenta do estado.
A operação envolve além da equipe da Garras, o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), o DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e uma equipe da PM (Polícia Militar) de Amambai.
Marcas provocadas por explosivos na porta do carro-forte; blindado resistiu e frustrou assalto (Foto: Direto das Ruas)
Marcas provocadas por explosivos na porta do carro-forte; blindado resistiu e frustrou assalto (Foto: Direto das Ruas)
O ataque – Na segunda, a quadrilha atacou o carro-forte na MS-156, entre Caarapó e Amambai, mas fugiu para o Paraguai sem levar um único centavo do assalto.
Os bandidos tentaram abrir o blindado com explosivos, mas a porta não abriu e eles fugiram. Só a perícia vai revelar se o carro-forte resistiu por causa da quantidade de explosivo ou se os artefatos falharam.
Segundo o secretário, ao que tudo indica, a quadrilha é a mesma que em meados de 2017 atacou carro-forte da mesma empresa, na mesma rodovia, na fronteira. A região fica a poucos quilômetros de Capitán Bado, base de quadrilhas brasileiras que controlam o tráfico de drogas e de armas na fronteira.

MS: Ataque a carro-forte entre Caarapó e Amambai pode estar ligado a grupo de 2017

Polícia não descarta que assalto tenha sido cometido pela mesma quadrilha

A polícia não descarta a possibilidade de a quadrilha que atacou um carro-forte na manhã de ontem, próximo à fronteira com o Paraguai, estar ligada ao grupo que praticou crime semelhante, há pouco mais de dois anos, na mesma região. A exemplo do caso anterior, os assaltantes teriam fugido em direção ao país vizinho.
Ontem pela manhã, um grupo de criminosos fortemente armados assaltou um veículo de transporte de valores da Brink’s, que seguia pela rodovia MS-156, entre as cidades de Caarapó e Amambai.
De acordo com as informações, eram, pelo menos, cinco homens portando fuzis e explosivos. Para o assalto, os bandidos atiraram no carro-forte, que foi obrigado a parar. Eles teriam utilizado dois veículos, sendo um Jeep Renegade e uma caminhonete L200. O Jeep foi abandonado pela quadrilha, em chamas, ainda no local do assalto, para dificultar a perseguição policial.
Segundo as informações, os bandidos não teriam conseguido chegar ao dinheiro que estava no carro-forte. Na fuga, eles teriam furado o bloqueio inicial montado pela polícia, seguindo com a caminhonete em direção ao Paraguai.
Os seguranças que estavam no veículo no momento da ação criminosa não foram feridos. O carro de transporte de valores cobria um trajeto entre as cidades de Dourados e Amambai, levando dinheiro para abastecer agências bancárias da região.
AÇÕES SEMELHANTES
Para a polícia, ainda é cedo para se falar em autoria do crime, mas não está descartada a hipótese de a responsabilidade ser do mesmo grupo que assaltou um outro carro-forte da Brink’s, em 2017.
Na época, um veículo transportando valores a partir de Dourados também foi atacado na MS-156, entre Amambaí e Caarapó, a poucos quilômetros do local da ação registrada nesta segunda-feira. Uma metralhadora calibre 50 e explosivos foram usados para destruir o veículo. Os assaltantes teriam fugido em veículo modelo Renault Duster, que acabou sendo abandonado logo depois, completamente queimado.
Após terem incendiado o primeiro carro, o grupo entrou em uma caminhonete e prosseguiu em fuga em direção a uma fazenda. Depois teria seguido para o território do país vizinho.
BUSCAS
Ontem, logo apos o ataque ao veículo da Brink’s, policiais civis, militares e federais que atuam na região se deslocaram para pontos da fronteira em trabalho de busca aos assaltantes. Informações preliminares dão conta de que eles teriam cruzado a fronteira pelo município de Aral Moreira. Para isso ocupavam um veículo Citroën C4 preto, possivelmente roubado na estrada.

FONTE:  CORREIO DO ESTADO / THIAGO GOMES E ALIRIA ARÍSTIDES

DECISÃO DO TRF1: Antes de redução entrar em vigor, pedágio da BR-163 volta a subir

FONTE: GLAUCEA VACCARI-correiodoestado.com.br
Tribunal suspendeu efeitos da decisão da ANTT e manteve valor antigo da tarifa.

Tarifas deveriam cair a meia-noite, mas decisão derrubou a redução – Foto: Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) suspendeu decisão da Agência Nacional de Transportes (ANTT) que havia determinado a redução da tarifa do pedágio da BR-163, em Mato Grosso do Sul. A redução, de 53,94%, que era começaria a ser cobrada neste domingo (1º), nem chegou a entrar em vigor.
Concessionária que administra a rodovia, a CCR MSVia, informou que a cobrança do valor anterior da tarifa já foi retomada desde a meia-noite nas praças do Estado.
Na última terça-feira, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) havia determinado por processo administrativo que CCR deveria aplicar a redução de 53,94% da tarifa básica, com vigência a partir de sábado. A concessionária recorreu e conseguiu decisão favorável, proferida ontem.
A decisão sobre agravo de instrumento interposto perante o Tribunal Regional Federal da 1a Região suspendeu os efeitos da deliberação 1025 da ANTT, que havia alterado a tarifa básica de pedágio de R$ 0,05259 para R$ 0,04767; com aplicação do desconto de reequilíbrio de 34,89228%, sobre a tarifa básica de pedágio, correspondente ao Fator D (uma das fórmulas consideradas no cálculo), bem como a aplicação do Índice de Reajustamento Tarifário que representa o percentual positivo de 3,22%, correspondente à variação do IPCA no período; o Fator C (outra fórmula usado no cálculo) negativo de R$ 1,38979 na Tarifa de Pedágio reajustada. Suspensão é até que sejam apreciados os conflitos decorrentes do desequilíbrio contratual pelo juízo arbitral”.
Desta forma, a tarifa, que na praça de pedágio de Campo Grande deveria cair para R$ 3,90, volta para o valor anterior, de R$ 7,80. Em Mundo Novo, onde a redução seria de 60% para facilitar o troco e tarifa seria de R$ 2, com a suspensão o valor cobrado continua em R$ 5,10.
A redução no preço do pedágio da BR-163 cobrado pela CCR MSVia era para ter ocorrido na primeira quinzena de setembro, conforme determinação da ANTT, momento em que ocorreu a revisão tarifária.
A data-base para a aplicação de novas tarifas é 14 de setembro, mas a ANTT protelou por mais de dois meses a decisão – sem justificativas, uma vez que os pareceres das áreas técnicas estavam prontos desde o dia 12 de setembro.
NOVELA
A CCR MSVia chegou a pedir que a ANTT diluísse, nos próximos 25 anos, a redução de 53,94% na tarifa do pedágio.
Reportagem publicada pelo Correio do Estado na edição do dia 13 de novembro mostrou que o diretor da ANTT, Davi Barreto, ficou contra o pedido. “Francamente, estender em 25 anos é desrazoável – a empresa auferir receita em um ano e querer pagar em 25 anos não me parece ser razoável”.
A concessionária abandonou a obra de duplicação há mais de dois anos, após ter pedido de revisão do contrato negado. Desde então, a empresa faz apenas a manutenção do trecho.

ELEIÇÕES MS: Edson Moraes, do Patriota, é eleito prefeito de Miranda.

Presidente da Câmara e prefeito interino venceu Valter Ferreira (DEM), Jorginho Cordella (Solidariedade) e Zé Lopes (PV). Eleição suplementar foi realizada em razão da cassação em agosto deste ano da prefeita e do vice eleitos em 2016.

Edson Moraes, do Patriota, é eleito prefeito de Miranda. — Foto: Cristiano Gomes/TV Morena

Edson Moraes, do Patriota, foi eleito prefeito de Miranda neste domingo (6), em eleição suplementar. O resultado foi confirmado às 18h (horário local), com 99,32% das seções totalizadas. O mandato vai até 31 de dezembro de 2020.
Edson Moraes, do Patriota, é eleito prefeito de Miranda. — Foto: Cristiano Gomes/TV MorenaEdson Moraes, do Patriota, é eleito prefeito de Miranda. — Foto: Cristiano Gomes/TV Morena
Edson Moraes, do Patriota, é eleito prefeito de Miranda. — Foto: Cristiano Gomes/TV Morena
Com a apuração completa, o candidato do Patriota teve 7.844 votos, o que corresponde a 63,01%. Valter Ferreira, o Nego (DEM), teve 3.891 votos, o que corresponde a 31,26%. Já Jorginho Cordella (Solidariedade), teve 461 votos, o que corresponde a 3,70% e Zé Lopes (PV), 252 votos, o equivalente a 2,02%.
Ao todo, 12.953 eleitores, 69,36%, compareceram as urnas e 5.721 (30,64%) se ausentaram. A eleição suplementar registrou ainda 1,30% de votos brancos (168) e 2,60% (337) de votos nulos.
Biografia
Natural de Miranda, o prefeito eleito tem 58 anos. Foi eleito vereador pelo município em 2012 e reeleito em 2016, sendo eleito presidente da Câmara Municipal. Desde agosto deste ano, com a cassação da prefeita e do vice eleitos em 2016, ocupava interinamente o cargo de prefeito da cidade.

FONTE: G1 MS

MUNDO NOVO: Atuação dos fiscais tributários aumenta arrecadação de ICMS em MS, garante Sindifiscal-MS

Presidente do Sindicato estará em Dourados (04-09), Ponta Porã (05-09) e Mundo Novo (06-09).
A arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em MS aumentou de R$ 4,86 bilhões para R$ 5,04 bilhões em um comparativo entre janeiro e julho de 2018 e o mesmo período em 2019. O crescimento de 3,7% é resultado da atuação dos fiscais tributários, conforme destaca o presidente do Sindifiscal-MS (Sindicato dos Fiscais Tributários do Estado de Mato Grosso do Sul), Francisco Carlos de Assis. “Temos valorizado o principal agente fiscalizador do Estado, o fiscal tributário tem um papel essencial de garantir recursos para o governo de forma a manter a saúde, a educação e a moradia”, explicou o presidente.
Em 2018, a entidade já apontou um crescimento nominal de 18,21% e real de 14,86% comparado a 2017. As informações estão disponíveis no Portal da Transparência Estadual. A valorização do profissional é uma das pautas de Assis, nesta semana, em Dourados (04), Ponta Porã (03) e Mundo Novo (06). Além disso, o presidente leva também o programa “Vida Saudável”, que promove palestras e ações de bem-estar aos associados. Em Mundo Novo, a palestra “Alimentos que adoecem e medicina ortomolecular” será proferida pela médica Cláudia Pereira.
30 anos de atuação
O Sindifiscal-MS tem em todo estado 472 associados ativos e 702 aposentados. Em Dourados, são 32 ativos e 84 aposentados. Já em Ponta Porã, são 58 associados, sendo que 53 são aposentados. Em Mundo Novo, o Sindicato conta com 24 colaboradores associados na ativa e outros 48 aposentados. Este ano, a entidade, que teve sua história marcada por lutas pela valorização profissional, completa 30 anos de atuação em Mato Grosso do Sul. Hoje, uma das principais bandeiras do Sindicato é a atuação do fiscal e dos agentes. O fiscal tem limitação de atuação. “Ele só pode atuar em mercadorias em trânsito. É como se tivéssemos dois tipos de policiais onde um só pudesse atuar na rua, quando o ladrão invadisse a casa de alguém ele teria de chamar o outro policial”, explica Assis.
O presidente aponta ainda que essa diferença de cargos se equiparada dentro na mesma função daria mais eficiência ao trabalho. “Temos entre 70 e 80 mil empresas ativas, se o fiscal passasse a atuar junto com os agentes nos estabelecimentos comerciais ao invés de 560 empresas por profissional teríamos uma média de 110, facilitaria a fiscalização para ambos os profissionais”, apontou.
Sindifiscal-MS
O Sindicato dos Fiscais Tributários do Estado de Mato Grosso do Sul (Sindifiscal-MS) foi criado em 30 de setembro de 1989 e representa os Fiscais Tributários de MS. Representa 1.174 profissionais entre ativos e aposentados. Tem uma história marcada por lutas e valorização profissional.
FONTE:
Francisco Carlos de Assis (Chiquinho) – presidente do Sindifiscal-MS
Roberval Edson dos Santos – delegado do Sindifiscal-MS em Dourados
Anselmo Raul Bareiro Lesme – delegado do Sindifiscal-MS em Ponta Porã
Marco Antônio Motta – delegado do Sindifiscal-MS em Mundo Novo

ELDORADO MS: Falsa farmacêutica que atuava há 3 anos em MS é descoberta após vacinar até delegado que a indiciou.

MUNDO NOVO: Governo de Mundo Novo quer reconstruir ponte do Jatinho até a Festa do Frango Caipira.

Reconstruir a Ponte do Jatinho até a Festa do Frango Caipira, marcada para os dias 20 e 21 deste mês. Este é o objetivo do prefeito Valdomiro Sobrinho (PL), após a referida ponte amanhecer incendiada na manhã da última terça-feira.

Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil estiveram no local. Por se tratar de madeira de lei, um incêndio criminoso é a hipótese mais forte. A Polícia Civil investiga e a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros estão preparando relatório para ser enviado a Defesa Civil Estadual – a estrada é estadual, apesar de constantemente ter a sua manutenção pelo governo municipal.

O prefeito Valdomiro Sobrinho se mostrou triste com a situação e solicitou que as secretarias de Infraestrutura e Meio Ambiente possam reconstruir a ponte na próxima semana. A dificuldade é grande já que a estrutura da mesma foi danificada.

FONTE: Semcos/Texto: Jandaia Caetano

(Foto: WhatsApp MS NEWS (67) 9 9605-4139)

TERRA SEM LEI: Médico é executado por pistoleiros na fronteira.

Mais um caso de execução foi registrado na região de fronteira entre Brasil e Paraguai. Na tarde desta ultima terça-feira (11/6), o médico José Centurion morreu ao ser atingido com vários disparos de arma de fogo em Pedro Juan Caballero, na divisa com Ponta Porã. 

O crime ocorreu por volta das 14h, logo após o profissional deixar o trabalho.

Conforme imagens que chegaram a redação do Dourados News, o médico havia acabado de entrar no veículo branco de sua propriedade quando os criminosos passaram e efetuaram os disparos.

A polícia paraguaia investiga as motivações do assassinato.

FONTE: msnews

MS: Estado tem 3,1 mil casos de corrupção no poder público.

Segundo o documento, atos de fraudes e corrupção atrapalham “ou até inviabilizam” o funcionamento adequado.

Relatório da Rede de Controle aponta que o Poder Público de Mato Grosso do Sul “coleciona” 3.149 casos de irregularidades éticas, administrativas e criminal entre 2015 e 2017. O documento foi divulgado na ultima quinta-feira (dia 9) no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

Segundo o documento, atos de fraudes e corrupção atrapalham “ou até inviabilizam” o funcionamento adequado do Estado. Dos 1572 gestores do primeiro e segundo escalões, 815 não têm experiência técnica ou gerencial compatível com a natureza do trabalho.

Outro dado preocupante, 47 deles carregam histórico de “delito funcional ou criminal”. O relatório conclui que o motivo do quadro é que somente 23% das organizações possuem nível aprimorado/avançado de práticas de gestão de pessoal contra fraude e corrupção. Apenas 11 gestores participaram de processo seletivo específico para o cargo.

A auditoria não aponta nomes, nem dados específicos de cada esfera de governo (prefeitura, governo estadual e governo federal). Contudo, elenca maneiras de melhorar a situação.

“Implementação das boas práticas para prevenção, detecção, investigação, correção e monitoramento das situações de fraude e corrupção nas três esferas de governo e nos três poderes do Estado, de maneira proporcional ao seu poder de compra e/ou regulação”.

Cada unidade pública vai receber o diagnóstico individual e a Rede de Controle vai acompanhar a evolução da adoção de “medidas estruturantes”. Ainda de acordo com o levantamento, são frequentes casos de corrupção no País e “no Mato Grosso do Sul e no município de Campo Grande não tem sido diferente”.

Na Capital, somente três das 21 organizações públicas avaliadas possuem nível de possíveis fraudes e corrupção “aceitável”. “Em decorrência disso, há uma alta possibilidade de que ilícitos éticos, administrativos e/ou criminais estejam ocorrendo e continuem a ocorrer de maneira sistemática”.

Das 282 organizações públicas federais, estaduais e municipais de MS, somente 25 avaliadas possuem suscetibilidade à fraude e corrupção “aceitáveis” – ou seja que tem risco “muito baixo” de casos de corrupção. Ao todo, R$ 1.454.527.659,00 em recursos públicos foram fiscalizados.

O relatório traz que as esferas de governo têm “alto poder de compra” e, quando não adotam “suficientemente” práticas eficazes de combate à fraude e corrupção e não possuem “líderes preparados e honestos”, é esperado que “esses casos ocorram de maneira recorrente”.

A auditoria foi realizada entre TCU (Tribunal de Contas da União), TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado), Controladorias Geral de MS e Campo Grande – que formam a Rede de Controle. O estudo conta com quatro níveis de risco – verde (baixo risco), médio (amarelo), alto (marrom) e muito alto (vermelho) –, que denotam também a falta de estruturação para coibir atos corruptos.

FONTE: Por EDILSON OLIVEIRA – sulnews.com.br